Acondicionar

Passou os dedos pela sua pele. Fez arrepiar os pelos, causando-me frio na barriga. Sentiu como se ela fosse borboleta trazendo a serenidade na alma. Mas ela era mais que borboleta. Ela incorporava animais que não conseguia nomear. Não conseguia raciocinar exatamente. Pensamento já era o que não conseguia acompanhar. Sentiu… (apenas). Seguia cada toque, envolvimento, sensação. Deixou-se florir em pleno setembro. Pousou-me e contrariou toda ordem da natureza. Recriou meu próprio meio ambiente naquele pequeno instante, filha da luz, aquela mulher. E naquele instante criou um cosmo inteiro para ser habitado entre aquela sala de cinema inteira. Seres em pura descoberta. Em puro despertar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: